terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Amar é vida

"O que é o sofrer, para mim que estou jurado pra morrer de amor " já perguntava o poeta djavan 
Eu também estou jurada, mas não pra morrer e sim viver de amor
respirar o amor 
Sentir o amor 
Se alimentar de amor 
Amar é viver 
Amar é viver o hoje esperando o amanhã de braços abertos 
Amar é reencontro 
É sorrir e as vezes até chorar, lágrimas também caem por emoção
Amar não é sofrer
Quem ama de verdade não se sente só o amor preenche o vazio seja ele qual for
Quem ama sabe esperar 
Aprende a perdoar
Quem ama se doa sem nada cobrar 
Porque morrer de amor se o amor é vida
Eu quero "viver e não ter a vergonha de ser feliz "
Porque é o efeito que o amor nos causa 
Ums sentem
Outros fingem o que sentem 
O amor não deprime ele é sublime 
Quando a dor dói no peito
A dor vem das palavras que fere
Das decepções causadas por quem deveria nos proteger 
O amor vai muito além do que suponhamos imaginar 
O amor é intenso 
Vibrante, excitante, puro e verdadeiro 




sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Submissa


Tudo em você me atrai 
Teus olhos miúdos e misteriosos 
Tua boa pequena e macia 
Teus braços que me abraçam 
Essas pernas pequenas, grossas que me entrelaçam 
Tudo em foi me atrai
Tua voz doce 
Esse jeito de menina mimada 
De mulher despudorada 
Amo seu jeito de me dominar
De me deixar de quatro sem defesa 
Quando me fala palavras lascivas 
Crava os dentes e me banha com sua saliva 
Adoro quando me fita os olhos 
Me arrepia à alma 
Me deixando submissa 







quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Sua voz


A tua voz é como bálsamo 
Me acalma, e alegra meu coração 
Tua voz brava e cheia de autoridade me excita e me enlouquece 
Amo quando canta
Porque cada nota me encanta e fascina 
Cada palavra dita com carinho embala minha alma
E cada palavra balbuciada com raiva 
Faz minha lucidez se transformar numa sexomaniaca desvairada 
Tua voz me acalenta 
O corpo 
O coração 
E à alma 




Perdida


Ficar um minuto que seja longe de você é uma eternidade pra mim
Fico sem rumo 
Perco o chão 
Uma bússola sem ponteiro 
Me sinto perdida 
Desorientada
Sem vontade de nada
As horas demoram a passar 
Os segundos se tornam meses de espera
Exagero?
Fala isso pro meu coração 
Que bate descompassado 
Com notas descoordenadas sem melodia
Bate sentido agonia
Não fica mais longe de sua moreninha  

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Ciúmes

 Tenho ciúmes dos teus olhos 
Ciúmes da sua boca, da sua voz macia 
Tenho ciúmes de você 
Do jeito que anda 
Das blusas decotadas que veste 
Das mãos delineadas e das unhas pintadas 
Ciúmes quando canta pois sei que encanta 
Tenho ciúmes das suas noites dormidas, dos sonhos sonhado
Da música ouvida 
Ciúmes das sandálias que calça 
Do jeans que te aperta
Do batom que te enfeita 
Tenho ciúmes de tudo
Do vinho que bebi e te embriaga de prazer 
Da delicadeza que segura a taça 
E do perfume que me enfeitiça 

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Saudades de você

Nenhuma palavra é capaz de decifrar a dor da saudade
Ela comprime o peito
Embaralha os pensamentos
Faz jorrar lágrimas sem cessar

Sinto saudades do beijo
Do abraço
Saudades do cheiro
Dos amassos trocados


Saudade doida dos teus olhos olhando os meus
De cada palavra falada
Cada sussurro
Cada gemido escapados  tímidos
Saudades de você

Saudades de nossas brigas
Dos reencontros
Saudades das noites de lucidez
E das loucuras noturnas

Saudades...
Do lençol jogados
Dos travesseiro largados
Do banheiro molhado
Do sabonete perfumado azulado

Sinto saudades do primeiro olhar trocado
Das mãos se encontrando
Da nossa boca salivando
Do nosso corpo queimando

Lembro do detalhes da sua calça jeans
Da blusa que usava, soutien, das sandálias
Da mochila que carregava
Do perfume que exalava

 Saudades dos momentos vividos
O encontro
A despedida
Desejando o reencontro...