segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Sem Calmaria


Em meio as folhas secas, de cascalhos e pedras
Um outono cinzento , frio de nevoeiro
Eu caminhei
Eu andei
Te procurei

Em meio a tantos mares
Ondas que vinham e voltavam
Eu esta lá a te esperar
Quis te encontrar
Te busquei por onde andei
Procurei,

E em meio a tantas tempestades
Em meio a tantos ventos
Enfrentei o mundo e te procurei
Busquei por onde passei
O vento me arrastou
terremotos me balançou
não desisti e continuei

E entre a calmaria do deserto
e o queimar do iceberg
Continuei a procurar você
Não encontrei
não desiste e promete aos céus te encontrar

Não sei se no outono cinzento
Na tempestade do vento
Na calmaria do deserto
Ou no queimar do gelo
Eu sei que vou te encontrar

promete aos céus que vou te buscar
não importa quanto tempo isso ira durar
Só sei que meu coração não ira sossegar
Enquanto meu corpo no seu corpo se encontrar



4 comentários:

  1. A nossa vida é uma eterna busca, mas não eternize tanto, simplifique. Parabens pelo lindo texto, é muito rico, explicito, gostoso de ler. De uma certa forma nos faz reletir na busca de algo ou alguem. Maravilha parabéns, voce é muito especial.

    ResponderExcluir
  2. Sim Artur, minha autoria,
    alias tudo que esta escrito no blog, o que não criei dou o credito aos proprios autores...

    beijo e valeu pela visita

    ResponderExcluir

Dê vida ao blog, deixe seu comentário ele é muito importante