quarta-feira, 9 de agosto de 2017

O encontro parte 2

Márcia e Rita se entregam aquela paixão, nada mais importa naquele momento,
Enquanto isso Lidiane  comemora, afinal ela era o cupido desse amor
O final de semana passa lentamente, e Lidiane fica sem noticias, afinal as meninas estavam se curtindo e elas esqueceram de todos .
Quando chega a noite de domingo;
O celular de Lidiane enfim vibrou, era noticias das amigas, mas ao ler a mensagem viu que as coisas não estão tão bem assim, a mensagem dizia: " me chame assim que ver essa mensagem, preciso conversar".
Lidiane logo se pergunta:
O que teria acontecido?
Preocupada, imediatamente ela chama Rita no whatssap

Lidiane: Rita 
Rita: oi li, desculpa ta te chamando essa hora
Lidiane: Rita não precisa pede desculpas, o que ouvi?
O que aconteceu? 
Vocês brigaram?
Rita: Não Li não brigamos, Márcia é que me deixou cheia de duvidas, insegura, ao mesmo tempo que diz gostar de mim, o tratamento é o contrario, distante, indiferente, fria.
Lidiane: Tenha paciência Rita. como te falei márcia ficou viúva recentemente e esta com a cabeça ainda confusa, ela é maravilhosa uma pessoa muito boa 
conversa com ela, tem paciência
Rita responde: ok , você mas do que ninguém sabe o que sofri nessa minha vida, não  passar por tudo de novo
Lidiane: Confie em mim e tenha calma
Rita: obrigada amiga

Enquanto as duas conversavam, Rita observava Márcia que rabiscava um papel
Rita então se aproximou carinhosamente e perguntou o que ela fazia, Márcia rasga o papel e disse que não fazia nada, Rita a abraçou e beijou seu pescoço, mais com os pensamentos cheios de duvida, o que sera que ela tanto escrevia , porque rasgou o papel?


segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Verdade não tem fim


Amor de verdade
Não se apaga
Não se esqueci.

Não se destrói um amor assim
Tem sentimento que e pra vida toda

o tempo passa, a morte vem
Mas amor de verdade ultrapassa barreiras
E vive outras vidas, buscando esse mesmo alguém

Apagar o numero da agenda
Rasgar fotografias e cartas,
Não apagam lembranças da mulher amada
Que foram atuadas na mente e no coração

Fugir e negar é uma opção 
Nenhum abraço e aconchego ira apagar o amor verdadeiro
Nem tão pouco o cheiro que ficou no travesseiro
O gosto do corpo e do beijo
Que fez as duas ficar dependente de amar.



quarta-feira, 26 de julho de 2017

Desejo

Se os pensamentos se materializasse 
Meu mundo teria cor
Seria perfumado e florido 
Você não estaria longe 
E sim aqui comigo 

terça-feira, 25 de julho de 2017

Triste rotina



As noites já não são mais tranquilas 
A insônia, os medos fazem parte da minha rotina 
A tristeza a dor que assola meu coração 
Sinto-me morta 
Só que uma morta que respira assustada na madrugada 
Nada mas me dá o sossego de antes 
E meu coração anda triste e doido 
Já não sei quando durmir e nem sonhei
É tantos pensamentos desencontrados 
E você ?
Onde está você? 
Cansada disso tudo
Não tenho mas sorriso 
Estou abatida e triste 
Queria dormir meia hora que fosse 
Só pra sonhar com você e preencher esse vazio que tem no meu peito
Sinto-me me morta 
Triste
As noites demoram a passar
Fecho os olhos pra tentar enganar essa insônia que me atormenta 
E esses pensamentos que se cruzam e me entorpece a alma de medo 
Eu só queria poder dormir por alguns minutos 
E sonhar com você 


segunda-feira, 24 de julho de 2017

O poder do amor

O amor ainda é a minha inspiração
Não adianta o mundo me mostrar o contrário 
Eu acredito no amor 
Na existência do bem 
Não adianta querer me provar o contrário 
Não são as dores e tristezas que vai mudar isso dentro de mim 
Quem quiser que delete esse sentimento da vida
Eu não vou fazer isso
Fui criada com amor 
Minha essência é amor 
Então, não adianta querer me provar a contrario 
Eu já fui amada, odiada, ignorada
Eu também amei, jamais odiei, mas já ignorei 
Não guardo rancor nem magoa de ninguém 
Mas sou vítima do rancor e das mágoas que causei
Eu sou de perdoar até quem já me feriu
Quem me jogou num buraco escorregadio
Lutei e estou aqui
Sem raiva de ninguém 
"Amo como ama o amor"
E dentro de mim não tem espaço pra rancor. 

domingo, 23 de julho de 2017

O encontro 1º capitulo

Rita estava saindo de um relacionamento conturbado quando conheceu Lidiane, uma mulher que logo se tornaria sua amiga e confidente, as duas trocavam sempre mensagens, onde relatavam suas vidas e preocupações do dia a dia.
Rita de vez em quando, se abatia com lembranças de uma traição,  pois a mulher que ela amava, estava jogando  fora uma relação de 6 anos, por uma aventura inconsequente. 
Rita tentava se erguer todos os dias e Lidiane passou a ser a peça fundamental para que isso se tornasse realidade.
Lidiane  tinha uma amiga que a pouco mas de um ano tinha ficado viúva e estava desiludida com o amor, ela teve uma ideia , apresentar sua amiga para Rita e foi o que ela fez, falava de uma pra outra todos os dias, até que ambas decidiram trocar número do telefone, e passaram a se falar com frequência e em menos de um mês as duas já estavam se conhecendo, algo mágico nascia dentro de Rita e aparentemente algo também despertou a atenção de Márcia, um encontro tranquilo entre duas mulheres adultas, um final de semana de muitas surpresas,  a atmosfera do lugar contribuiu pra que tudo desse certo, Paratí uma cidade linda do Rio de Janeiro,  muito romântica e aconchegante. 
Ambas se admiravam encantadas uma com a outra, enquanto conversavam e numa longa trocar de olhares elas se beijam... 

sábado, 30 de julho de 2016

Nota musical

O amor é como notas musicas
Precisa de harmonia 
E você é  a nota que falta
Pra que a trilha sonora da minha vida  fique completa.

Cássia Freitas

Coração aflito

Os dias vão passando dolorosamente 
Parece eternidade diante da dor e da saudade que me aflige
As horas andam num compasso contrário 
Os minutos não passam
Segundos lentos 
E os olhos deságuam
Cachoeira de sentimentos contidos 
Como foices rasgando meus olhos 
Nesse coração inerte sangrando dentro do peito

Cássia Freitas

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Medo na madrugada

Medo me consome a alma
O barulho da noite silenciosa
Medo de perder você
Estou presa aos meus pensamentos
A noite está escura
Chove lá fora
Ventos soprando os galhos
Assobiando uma canção triste de saudade
Não consigo me mexer
Estou quieta, deitada com medo de tudo
Esse silêncio que me atordoa
As roupas dançam na corda
No compasso desgovernado indo de lá pra cá
As lâmpadas encobertas pela chuva
As gotas parecem cristais
Caindo nas poças d'água feito pedaços de pedra
Estou paralisada,
esse medo do nada me consome
Fecho os olhos tentando dormir
Me vem você
O coração dispara amedrontado
Tenho Medo de te perder.


quarta-feira, 1 de junho de 2016

Inocência perdida



O corpo dói e à alma está dilacerada
Mãos, suores, salivas
Escorrem no meu corpo inerte, dopado
Não sei onde estou
Não sinto meu corpo
Estou suja, sangrando
Ouço vozes, risos, todos se divertindo
Sei que preciso gritar
Mais não tenho forças, consciência
So sinto o corpo sendo jogado
Mexido, espancado, violado
Não sinto dor
Minha alma está perdida
Preciso voltar pra casa
Deus me tira daqui


Obs: Escrevi esse poema devido ao estupro coletivo que uma jovem de 16 anos sofreu.